Programa Floresta + vai remunerar quem protege mata nativa

O Ministério do Meio Ambiente instituiu o Programa Floresta+. Para o projeto-piloto, na Amazônia Legal, são mais de R$500 milhões destinados para atividades que melhorem, conservem e recuperem a natureza. A iniciativa vai contar com a participação do setor privado e de recursos de acordos internacionais.

 

“Os R$ 500 milhões recebidos do Fundo Verde do Clima vão remunerar quem preserva. Vamos pagar pelas boas práticas e reconhecer o mérito de quem cuida adequadamente do meio ambiente”, destacou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

 

São 560 milhões de hectares de floresta nativa no território brasileiro. A área é maior que todos os países da União Europeia. O Brasil possui o maior patrimônio de biodiversidade do mundo e tem potencial para se tornar um dos protagonistas mundiais de uma nova economia verde. O papel do Governo Federal é estruturar e escalar o mercado voluntário de serviços ambientais com o estabelecimento de critérios para dar credibilidade e segurança jurídica aos projetos para a recompensa de quem protege os recursos naturais.

 

Saiba mais: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-288-de-2-de-julho-de-2020-264916875

Fonte: MMA

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Veja também

Boletim CCBJ

A Câmara de Comércio Brasileira no Japão envia regularmente boletim eletrônico aos associados. Na edição de julho, o artigo foi escrito pelo Cônsul-Geral do Brasil

Leia Mais >>

Agronegócio brasileiro

O Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu fez uma live sobre o agronegócio brasileiro. O adido agrícola Ricardo Maehara, da Embaixada do Brasil em Tóquio, participou

Leia Mais >>