Empreendedorismo em discussão

O Focus Brasil Japão apresentou um painel com o tema Empreendedorismo. A discussão virtual teve a participação dos seguintes empresários: Nelson Saito (Kowa), Toshihiko Kawasaki (Yudensetsu), Walter Saito (KK T.S.) e Sheila Onishi (Exotic Fashion).

O Embaixador João de Mendonça Neto, Cônsul-geral do Brasil em Tóquio, foi o coordenador do painel realizado no dia 19. O Embaixador disse que a integração na sociedade japonesa é pela educação e pelo empreendedorismo. O Consulado vem promovendo as iniciativas da comunidade. Os representantes da Focus Brasil, Carlos Borges e Mário Makuda, também participaram do painel.

Saiba mais: https://www.facebook.com/focusbrasilorg/videos/303434530940936

 

Kowa

O diretor-presidente da Kowa Corporation, Nelson Saito, chegou no Japão em 1989. Ele tinha o sonho de juntar dinheiro e ficar alguns anos e voltar ao Brasil para começar um empreendimento. Ele trabalhou alguns meses em fábrica e passou a gostar do trabalho de recursos humanos. Em 1991, Saito fundou a Kowa. “Passamos por algumas crises tentando superar essas fases”, comentou. 

“Os meses de abril e maio foram os mais difíceis com o Estado de Emergência”, relatou Nelson Saito. Houve paralisação de trabalho em algumas empresas nesse período. A produção tem voltado gradativamente e o desemprego parou de aumentar na Kowa. O empresário Saito nota que algumas unidades estão contratando. O setor mais afetado foi autopeças e o mais estável é o setor alimentício.

 

Yudensetsu

O diretor-presidente da Yudensetsu, Toshihiro Kawasaki, contou que veio em ao Japão 1989. Ele trabalhava como pedreiro, fazendo alicerce na construção de casas. Essa atividade durou 12 anos. Após o casamento, ele abriu a empresa e atua no setor elétrico desde 2007 “Os brasileiros precisam se preocupar com a profissionalização nas áreas”, ressaltou ele.

 

K.K. TS

O diretor-presidente da K.K. TS, Walter Saito, chegou no Japão em 1990. Ele trabalhou em fabrica até 1995. Depois fundou a TS, em 1995, atuando com recrutamento de pessoal. O empresário também fundou o Instituto Educacional TS para educação brasileira, imobiliária e escritório na Tailândia e no Brasil. Em 2008, com a crise mundial, a empresa mudou de ramo e investiu na agricultura. Foi fundada a TS Farm com produção de cebolinha verde, com comercialização no mercado japonês.

 

Texto: Neide Hayama

 

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp